28 de setembro de 2012

ARSLVT - Centro de Saúde da Boavista inicia atividade


Centro de Saúde da Boavista inicia atividade 
 

 
Iniciou hoje atividade o Centro de Saúde da Boavista, em Benfica, Lisboa. Esta unidade de cuidados de saúde primários vai servir 5 mil utentes, sendo o investimento da ARSLVT neste novo equipamento de 780.000 euros.
O Centro de Saúde da Boavista, a funcionar num espaço de 560 m2, com construção de raiz e características totalmente adaptadas à função que vai desempenhar, vai servir um total de 5.000 utentes, dos quais cerca de 1.000 não tinham médico de família atribuído. Nesta nova unidade vão trabalhar, a partir de janeiro de 2013, 4 médicos, 2 enfermeiros e 3 assistentes, num horário de funcionamento de segunda a sexta, das 08h às 20h.
Até essa data, o Centro de Saúde da Boavista vai funcionar com Consulta Médica, Sala de Tratamentos e Vacinação de Adultos, no horário das 09h às 16h, de segunda a sexta. Nas instalações funcionará ainda a Equipa de Cuidados Continuados Integrados e Paliativos do Centro de Saúde de Benfica, tendo como missão os cuidados de enfermagem e sociais à população que deles necessitem, com integração e ligação de outros cuidados prestados por outras instituições da Comunidade.
As novas instalações vão permitir a realização de um maior número de consultas médicas e de atos de enfermagem, aumentando a acessibilidade dos cidadãos aos cuidados de saúde e melhorando a qualidade da prestação dos mesmos. O investimento realizado pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo no Centro de Saúde da Boavista foi de 780.000 euros.
A nova unidade de saúde deu início à sua atividade na presença dos representantes da Associação Recreativa de Moradores e Amigos do Bairro da Boavista, da Presidente da Junta de Freguesia de Benfica, da Diretora Executiva e da Presidente do Conselho Clínico do Agrupamento de Centros de Saúde Lisboa Norte.
O Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Lisboa Norte tem por missão garantir a prestação de cuidados de saúde primários à população da área geográfica de 11 freguesias da Grande Lisboa (Centros de Saúde de Alvalade, Benfica, Lumiar e Sete Rios). Com cerca de 268.000 utentes, o ACES Lisboa Norte desenvolve atividades de prevenção da doença, de prestação de cuidados na doença e outros serviços de cuidados continuados.
O ACES Lisboa Norte desenvolve ainda atividades de vigilância epidemiológica, investigação em saúde, controlo, monitorização e avaliação dos resultados das intervenções efetuadas e participa na formação dos diversos grupos profissionais nas suas diferentes fases, pré-graduada, pós-graduada e contínua.

SABADO - O Centro de Saúde da Boavista, em Lisboa, abre esta sexta-feira portas sete meses depois da conclusão das obras


O Centro de Saúde da Boavista, em Lisboa, abre esta sexta-feira portas sete meses depois da conclusão das obras, atrasos em vistorias e problemas na instalação da água e da electricidade e de várias promessas de abertura "para breve".
Por João Saramago - Correio da Manhã

O vice-presidente da Associação de Moradores do Bairro da Boavista, Joaquim Pinto, disse à Agência Lusa que hoje pretende ser dos primeiros utentes a usufruir do Centro de Saúde, que "abre pelas 9h00 com um médico e um enfermeiro", sem inauguração oficial marcada até à data. As obras da Unidade de Saúde Familiar da Boavista ficaram concluídas em Fevereiro, num investimento de cerca de 800 mil euros, e apenas hoje, sete meses depois da falta de médicos, das falhas de abastecimento de água e de electricidade abre portas.No final de Junho, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, acompanhado pelo presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, assegurava aos jornalistas que bastava resolver um "problema de ligação à EDP" para abrir o centro de saúde, o que estaria "para breve".Um mês depois, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARS-LVT) continuava a justificar o atraso com um problema com a EDP e que, depois de ter sido assinado o contrato de prestação de electricidade, o contador seria instalado "em breve". O atraso na abertura do Centro de Saúde da Boavista motivou o descontentamento dos moradores do bairro e dos autarcas locais, que por várias vezes apelaram à tutela para acelerar o processo. 

JORNAL PÚBLICO - Centro de saúde da Boavista em Lisboa abre sete meses depois de pronto


 O centro de saúde da Boavista, em Lisboa, abre esta sexta-feira, sete meses depois da conclusão das obras. Apesar de várias promessas de abertura "para breve", os atrasos em vistorias e problemas na instalação da água e da electricidade foram adiando a entrada em funcionamento da unidade.
Atrasos em vistorias e na instalação da água e da luz foram adiando a abertura da unidade
O vice-presidente da Associação de Moradores do Bairro da Boavista, Joaquim Pinto, disse à Lusa que hoje pretendia ser dos primeiros utentes a usufruir do centro de saúde,com abertura marcada para as 9h "com um médico e um enfermeiro”, sem inauguração oficial marcada até à data.

As obras da Unidade de Saúde Familiar da Boavista ficaram concluídas em Fevereiro, num investimento de cerca de 800 mil euros. No final de Junho, o ministro da Saúde, Paulo Macedo, acompanhado pelo presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, assegurava aos jornalistas que bastava resolver um “problema de ligação à EDP” para abrir o centro de saúde, o que estaria “para breve”.

Um mês depois, a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo continuava a justificar o atraso com um problema com a EDP e que, depois de ter sido assinado o contrato de prestação de electricidade, o contador seria instalado “em breve”.

O atraso na abertura do centro de saúde da Boavista motivou o descontentamento dos moradores do bairro e dos autarcas locais, que por várias vezes apelaram à administração central para acelerar o processo.

27 de setembro de 2012

Já vai em 653 assinaturas recolhidas - Juntos pela NOSSA Farmácia


A Associação de Moradores do Bairro da Boavista recolheu mais de 250 assinaturas contra o encerramento da farmácia do bairro, apelando à Câmara de Lisboa que possa reduzir ou isentar o pagamento da renda do estabelecimento, avança a agência Lusa.

Segundo disse esta quarta-feira à Lusa o vice-presidente da associação, Joaquim Pinto, desde segunda-feira foram já recolhidas mais de 250 assinaturas contra o encerramento da farmácia do bairro, que está localizada há mais de 20 anos numa loja municipal e "paga mais de 700 euros de renda" à autarquia.

A presidente da associação, Gilda Caldeira, apresentou esta quarta-feira a situação da farmácia no momento dedicado à participação do público na reunião de câmara desta quarta-feira, apelando à autarquia que pudesse resolver o problema.

À saída da reunião, Joaquim Pinto disse à Lusa que "uma boa solução" por parte da câmara seria "isentar ou baixar a renda" à farmácia, pelo menos durante a crise económica.

Perante a exposição dos moradores, o vice-presidente da câmara, Manuel Salgado, admitiu a importância do estabelecimento para o bairro e mostrou-se disponível para encontrar uma solução para o "problema de renda" da farmácia.

NOTA: Estamos contra a actual politica que faz com que a nossa farmácia seja uma das 600 farmácias a fechar em breve. Neste momento com às assinaturas   recolhidas na Associação de Moradores (ARMABB) e da Farmácia Boavista, já são 653 (em 3 dias), e este numero é para aumentar.

25 de setembro de 2012

FARMÁCIA DA BOAVISTA, Esclarecimento sobre um futuro fecho da Farmácia

FARMÁCIA DA BOAVISTA

ESCLARECIMENTO

A acção de sensibilização das populações, que as Farmácias Portuguesas em geral, estão levando a efeito por todo o País , sobre o quase inevitável encerramento de mais de 600 farmácias, não foi perfeitamente interpretada por toda a gente.
Julgo-me por isso na obrigação de fazer um esclarecimento, que aliás está bem definido nos panfletos que estão ao dispor, no balcão da Farmácia, para quem pretenda conhecer melhor a situação.
Assim passo a esclerecer:

1 - A FARMÁCIA DA BOAVISTA não vai ser encerrada por ordem do Governo, como muitos interpretaram.

2 - A FARMÁCIA DA BOAVISTA, tal como muitas outras centenas espalhadas pelo País, incluindo Lisboa, perante as condições legais criadas pelo Governo, não tem margem que lhe permita manter-se aberta nas condições normais a que todos nos habituámos. Decidimos, de acordo com todo o pessoal reduzir salários e despedir um elemento bem importante (A Sª Drª Cristina, bem conhecida de todos desde há dez anos)como forma de nos mantermos ao serviço do Bairro.

3 - Perante as ameaças do Ministro de reduzir ainda mais as despesas com a saúde, sacrificando o povo nas comparticipações e as Farmácias no preço dos produtos e na margem de comercialização, denunciamos os factos e pedimos ás pessoas o seu apoio, protestando contra as desumanas medidas do Governo e exigindo condições para que o Bairro possa manter a sua Farmácia.

4 - Corremos portanto o risco de termos de fechar!...Precisamos do vosso apoio e claro está ,da vossa preferência sempre que possível.

Dr. António Herculano P. Melo

24 de setembro de 2012

Farmácia da Boavista está de Luto - 24 SET, dia de LUTO Nacional



Hoje, a Farmácia da Boavista está de Luto, e quem hoje por lá passou, parou para ver o que lá passava e juntou-se ao protesto.

Com atuais medidas do governo, a Farmácia do Bairro não irá aguentar tantas medidas e poderá fechar portas nos próximos dias.

Apela-se à População, para assinar a petição que está localizada em dois pontos do Bairro, na própria farmácia, e na Associação de Moradores do Bairro da Boavista que também associou ao protesto. 

Os moradores do Bairro, estão disponíveis para ajudar a “NOSSA” Farmácia, se estas assinaturas em nada mudar, estão prontos para fazer novas formas de LUTA.

Pode ver as seguintes reportagens:












Bairro da Boavista - Farmácias de luto - País - Notícias - RTP

22 de setembro de 2012

PEDIDO DE AJUDA EM MATERIAL (ESTANTES; CADEIRAS; COMPUTADORES)


Exmo/a Sr/a,

Agrademos desde já o tempo que irá dispensar em ler o nosso pedido. Vimos por este meio solicitar a sua solidariedade com o projeto que estamos a implementar no Bairro da Boavista em Lisboa - Benfica.
A Associação de Moradores do Bairro da Boavista tem vindo ao longo dos meses apostar em novos serviços para a população. Concorremos com um projeto ao Programa BIP ZIP 2012, Parcerias Locais, da Câmara Municipal de Lisboa e ganhamos.

Estamos a preparar a implementação de vários serviços sociais, entre as quais, uma lavandaria comunitária, apoio ao emprego e projeto de vida, biblioteca, sala de estudo, sala de debates e eventos, loja Social e oficinas de produção local. Já temos o espaço para este centro comunitário que queremos inaugurar no próximo dia 25 de Outubro, dia do aniversário do bairro. Neste momento precisamos de diverso material, desde cadeiras, mesas, móveis, eletrodomésticos, consumíveis (canetas, papel).
Enviamos em anexo a lista de todo o material, sabendo que atravessamos momentos de crise, existe sempre a possibilidade de terem um cadeira ou estante disponível que não faça falta à vossa instituição e na nossa será muito útil.

Conseguimos transporte cedido pela Junta para recolher material na vossa instituição, basta indicar o dia.
Contacto para qualquer tipo de esclarecimento: geral.armabb@gmail.com, 218226340 (sede da Associação) ou 915722389 (Joaquim Pinto). 

LISTAGEM das NECESSIDADES do Projecto! 

Necessidades de materiais/investimentos

Serviços/espaços
Materiais
Loja Social
1 mesa de atendimento

prateleiras produtos comunidade

prateleiras/área produtos doações

1 candeeiro

Bens doados para loja (Maq Café, Agua, Ferramentas)
Lavandaria
1 máquinas de lavar e 1 secar - JÁ DOADOS POR: CLUBE SOCIAL

Vários cabides e pendurador

cestos, alguidares, molas, plásticos protecção

Vários produtos de limpeza

1 balança (peso da roupa)


Espaço de Convívio
2 sofás (de 2 ou 3 lugares)

1 mesa de apoio

1 TV

1 candeeiro
Rede de Partilha
materiais parede - pvcs, lãs, pioneses, quadro branco, cenografias; fotografias, placas ceramicas (ver tipos), bostique, etc, orçamentos,

prateleiras/estantes
Sala 2

Biblioteca


4 mesas e cadeiras 16

1 quadro de giz

Várias estantes livros e publicações
Área de reuniões
1 mesa grande, cadeiras 12
Área de formações
8 mesas, cadeiras 16

3 computadores
Salas 3

escritório de gestão
3 mesas, 6 cadeiras JÀ DOARAM 2 MESAS POR: Nac. Recrut Portugal

3 computadores
gabinete de apoio
1 mesas

1 computador
Sala 4

Eventos
50 cadeiras público

1 projetores luz
actividades formativas

Cozinha

cozinha social/oficina
2 fogão industrial

Várias loiças e panelas

várias prateleiras dispensa e pequenos eletrodomésticos

2 mesas e cadeiras 6
Salas oficina Boavista

Produção de produtos de limpeza
3 mesas de produção

panelas

recipientes diversos e talheres

quadros de registo da produção

estantes para matérias/ingredientes

matérias primas 1ª produção
área de embalagens
embalagens recicladas, caixas de papelão
área de papel reciclado


1 varinha mágica industrial

prensa

carimbo grande e selo branco

baldes

quadrados com rede

estendal de rede
Estúdio de comunicação

Produção Vídeo
1 site de internet - programação, domínio, webdesign

1 câmara de filmar

1 projector

1 computador com edição de imagem

1 tela
Produção imagem/áudio
1 mesa de mistura

1 colunas

1 aparelhagem
Comunicação impressa
1 impressora a cores