24 de fevereiro de 2011

Já estão Abertas as Candidaturas ao Programa BIP-ZIP



Encontram-se já abertas as candidaturas ao programa BIP-ZIP, que visa dinamizar parcerias e pequenas intervenções locais de melhoria dos “habitats” abrangidos, através do apoio a projectos levados a cabo por juntas de freguesia, associações locais, colectividades e organizações não governamentais.
O Programa BIP/ZIP define os objectivos, o âmbito, o ciclo e as regras para a distribuição da dotação orçamental de 1 milhão de euros em 2011, de acordo com a aprovação de candidaturas a apresentar pelos destinatário e que serão submetidas a um júri e aos critérios de selecção identificados no Programa.
As candidaturas podem ser entregues on-line, através do site PLH, até 18 de Março 2011, em http://habitacao.cm-lisboa.pt/index.htm
O Programa dos BIP-ZIP foi aprovado pela CML através da Deliberação 752/2010, de 22 de Dezembro 2010. A Carta dos BIP/ZIP aguarda aprovação pela Assembleia Municipal onde será hoje, 22 de Fevereiro, apresentada. 

22 de fevereiro de 2011

Farmácia da Boavista - Acções de Formação Para a Saúde




Tal como no ano passado, a Farmácia da Boavista continua, em 2011, a oferecer, gratuitamente, à população do Bairro da Boavista, acções de formação sobre os mais diversos e importantes temas de saúde.

Para o efeito, estarão presentes técnicos credenciados nas seguintes matérias:



Pressão Arterial
Glicemia
Colesterol


Alimentação Saudável


Osteoporose (teste de densitometria óssea)


Oftalmologia

Esteja atento ao blogue ou às monstras da Farmácia da Boavista. Sempre que achar necessário umas destas acções para si, ou para outro familiar, inscreva-se na Farmácia. É fácil, rápido e gratuito. Estes rastreios são para manter o seu bem-estar durante o ano. 

Para mais informações, contacte a Farmácia através do e-mail: f25348@farmalink.pt ou do telefone 217606532.

20 de fevereiro de 2011

Agradável Visita do Vergílio Pereira, Locutor da Rádio Amália



Depois de várias chamadas para a Rádio Amália, o Locutor Vergílio Pereira rendeu-se aos imensos convites dos Moradores do Bairro da Boavista. A visita deu-se logo depois de ter terminado o programa neste sábado.





Eram já 18h30, quando o Vergílio chegou. O autor deste blogue e membro da Associação Recreativa de Moradores e Amigos do Bairro da Boavista (ARMABB), Joaquim Pinto, acompanhou-o durante a sua visita.



Começámos por uma pequena apresentação do Bairro. De seguida, fomos visitar e visitar o Talho do Paulinho e cumprimentar os seus colaboradores. Durante a conversa com o pessoal do Talho, apareceram mais duas moradoras, Elvira Russa e Elisabete Pinto. Depois de algumas ofertas, seguimos pelas ruas do Bairro, já na companhia da Elvira Russa, até ao Rei das Batatas, o Vítor Mesquita, onde estava já mais um grupo de ouvintes, Maria Vitória Claro, Sónia Abreu, Vanessa Gorrão, Paula Abreu e Tyler José: aqui o ilustre visitante também recebeu uma lembrança. Estivemos um pouco à conversa, falando um pouco da Rádio e do Bairro.



Mais uma caminhada e seguimos até ao Rei do Couratos, João Russo; também lá esteve Ana e Nikas, onde conviveu alguns minutos e pôde comer uma boa bifana e beber duas fresquinhas.

Esperamos que o Vergílio tenha gostado... porque nós gostámos muito da presença deste excelente locutor!

18 de fevereiro de 2011

Vamos Grafitar a CPCJ - Norte


A CPCJ Lisboa Norte, entidade parceira do projeto Ser Maior, promove um concurso de ideias para decoração do seu novo espaço de trabalho através da criação de grafítis alusivos aos direitos das crianças.

Mais informações e condições de participação no site: https://sites.google.com/site/vamosgrafitaracomissao/

Agradecemos a máxima divugação!
Obrigado!

Mais de 7.600 casas alienadas nos bairros de Lisboa



Os bairros municipais da zona Norte Oriental são os que maior percentagem  de alienações apresentam globalmente, com um total de 5.597 fogos geridos  pela Gebalis e 4.268 alienados, sobretudo a área abrangida pelo gabinete  de bairro dos Olivais, que tem mais casas já alienadas do que geridas pela  Gebalis.  
De acordo com o programa de alienação de casas municipais aprovado em Dezembro pela Câmara de Lisboa, a autarquia pretende pôr à venda este ano 2.141 fogos nos bairros Casal dos Machados, Quinta da Flamenga, Alto do Chapeleiro, Condado e Boavista.  
Com pelo menos 160 das mais de 2.000 casas abrangidas o município prevê encaixar 5,2 milhões de euros. De acordo com os dados da autarquia, em 2010  a câmara conseguiu encaixar 5,1 milhões de euros com as 168 escrituras que celebrou.  
Entre 1995 e 2006 foram alienadas mais de 5.600 fracções, num total de 97 milhões de euros, que abrangeram a grande maioria dos bairros municipais. 
Nos anos de 2008 e 2009, de um universo de 73 bairros, foram colocados à venda 24, num total de 1.314 frações. Deste universo, foram concretizadas 128 escrituras, num total de 5,8 milhões de euros.   
A nova estratégia de alienação das casas municipais da Câmara de Lisboa vai limitar o uso das verbas conseguidas com a venda de fogos à compra e reabilitação (Fundo Municipal de Urbanismo) e ao abatimento da dívida da autarquia.  

Redução de rendas tira 3,1 milhões à Gebalis




A empresa que gere os bairros municipais de Lisboa (Gebalis) deixou de receber nos últimos dois anos e meio mais de três milhões de euros por causa das reduções de renda pedidas por famílias com dificuldades financeiras.


Segundo dados da Gebalis a que a Lusa teve acesso, com as reduções de rendas pontuais concedidas desde o verão de 2008 a empresa deixou de receber um total de 3,1 milhões de euros.
Dados revelados o ano passado pela autarquia davam conta que os pedidos de casas municipais tinha triplicado em 2010, com mais de 4.700 casos recebidos até final de Setembro.
De acordo com os valores registados pela Gebalis, no ano de 2008 a empresa deixou de receber 811 mil euros com as reduções de rendas que concedeu, valor que em 2009 subiu para 938 mil euros e o ano passado ultrapassou os 1,4 milhões.

A Gebalis, que gere mais de 23.000 fogos, tinha acumulado até ao verão do ano passado 18,3 milhões de rendas por pagar, com mais de 10.000 famílias com dívidas no final de Abril de 2010.
Os dados divulgados o ano passado pela autarquia apontavam que os bairros com maior volume de dívidas acumuladas, em termos absolutos, eram a Alta de Lisboa (Lumiar), a Boavista (Benfica), Padre Cruz (Carnide), Flamenga e Armador (Marvila) e o bairro do Casal dos Machados (Olivais).
Quando se analisa o peso relativo das dívidas face ao número de famílias do bairro a maior percentagem ocorria no Bairro Eduardo Bairrada (Ajuda), com quase metade (47,7 por cento) das famílias com rendas em atraso.

A autarquia anunciou esta semana que vai verificar as condições de mais de 26.000 famílias que moram em casas da autarquia - bairros sociais e património disperso -, para poder depois actualizar o valor das rendas de acordo com os rendimentos.

A verificação vai ser feita a partir de Março, ao ritmo de 1.500 por mês, e a prioridade no primeiro mês vai para as rendas de valor igual ou inferior a cinco euros.
Ficam fora da verificação as situações actualizadas ou atribuídas há menos de dois anos (cerca de 160 contratos de renda apoiada) ou as que estão em contencioso jurídico ou com processo de cessação em curso.

Noticia Lusa / SOL

16 de fevereiro de 2011

CML vai verificar condições de fogos municipais



A vereadora responsável pelo pelouro da Habitação, Helena Roseta, avançou, em conferência de imprensa, que a Câmara de Lisboa vai verificar, já a partir de Março, as condições dos agregados familiares que moram em casas dos bairros sociais e património disperso do município de forma a actualizar as rendas de acordo com os rendimentos Veja aqui a reportagem video
apresentação dos projetos de regulamento do parque habitacional do municipio de Lisboaapresentação dos projetos de regulamento do parque habitacional do municipio de Lisboa
    
Segundo Helena Roseta, a verificação vai ser feita a cerca de 26.000 casas dos bairros sociais e do património disperso da autarquia, ao ritmo de 1.500 por mês, sendo que, no primeiro mês, a prioridade vai para as rendas de valor igual ou inferior a cinco euros. O que se pertende é saber quem são os inquilinos do município, qual a composição dos seus agregados familiares e quais os seus rendimentos.
apresentação dos projetos de regulamento do parque habitacional do municipio de Lisboaapresentação dos projetos de regulamento do parque habitacional do municipio de Lisboa
  
Assim, vão ser enviados ofícios a todos os inquilinos da autarquia, a um ritmo de 1.500 por mês, para que os mesmos façam prova de que são titulares dos fogos. Se depois de receberem o aviso da autarquia as famílias não fizerem a prova completa das suas condições correm o risco de ver definida de forma automática a renda técnica ou até de perda de uso de habitação.
Realçando a necessidade de mais rigor na verificação e atribuição de casas do património da CML, a vereadora afirmou-se “convencida de que não irá ser uma tarefa fácil”, mas sublinhou que “é algo que tem que ser feito para garantir a justiça e a equidade, já que as casas municipais são para quem precisa”.
Com a actualização das rendas, Helena Roseta adminte que“há pessoas que podem pagar menos e outras que podem pagar mais”. No caso de a renda ter que vir a ser aumentada, a autarca frisou que “esse aumento seré sempre feito de forma faseada, ao longo de três anos”. A vereadora afirmou ainda que nos casos de cedência precária não haverá actualização automática de renda.
De fora da verificação ficam as situações actualizadas ou atribuídas há menos de dois anos (cerca de 160 contratos de renda apoiada) ou as que estão em contencioso jurídico ou com processo de cessação em curso.
Segundo Helena Roseta, este sistema de verificação, que se deverá manter a cada três anos, pretende, essencialmente, “corrigir as situações de abuso”. “No entanto, se houver casos graves em termos de carência económica temos uma rede de apoio social para essas situações”, acrescentou.
Paralelamente a esta verificação, que deverá demorar cerca de dois anos a concluir, a autarquia vai avançar com três novos regulamentos que a autarca pretende ver aprovados pela Assembleia Municipal até final do ano: regras para a gestão, para as desocupações e para as operações de realojamento. Todos estes regulamentos serão colocados a discussão pública.
Há ainda outros regulamentos em preparação, que se referem às mais de 100 casas de função da autarquia e à criação da figura do provedor do inquilino.

As fotografias e o Texto é da Autoria da Câmara Municipal de Lisboa 

Inscrições para o Teatro Sénior em Benfica



Saiba mais, na sede da Junta Freguesia de Benfica, na Av. Gomes Pereira nº 25 ou  telefone 217123000

Acções Culturais Para Seniores




A Junta de Freguesia de Benfica dispõe um leque de acções culturais para os jovens com mais de 55 anos. Próximo dia 22 de Fevereiro, pelas 14 horas vão visitar o Museu da Carris (Santo Amaro – Lisboa).

Quem quiser, bastar ir a sede da Junta inscrever, para mais informações, ligue 217123000.

7 de fevereiro de 2011

Documentário "História do Meu Bairro"


(fotografia: Arquivo Municipal)

Em 2010, a Junta Freguesia de Benfica apresentou um projecto à Gebalis`EM, para realizar um documentário com o título “História do Meu Bairro”, sobre o Bairro da Boavista.

Na passada 5ª-feira, a Associação Recreativa de Moradores e Amigos do Bairro da Boavista foi contactada para “ajudar” neste documentário. Durante a semana de 7 a 11 de Fevereiro, a Associação recolherá todas fotos que forem entregues (as fotos serão todas digitalizadas) e enviá-las-á, por e-mail, às técnicas responsáveis do documentário.

Ao mesmo tempo, existe uma equipa de alunos da Escola Superior da Comunicação Social (entidade parceira) a fazer a recolha de depoimentos à população que anteriormente foi contactada.

Se tem fotos antigas, sobre o Bairro da Boavista (Lisboa) envie para geral.armabb@gmail.com.

Precisamos de toda a AJUDA!

6 de fevereiro de 2011

Unidade de Intervenção Territorial Norte - LISBOA


CML – Unidade de Intervenção Territorial Norte

1.Identificação
Nome: Unidade de Intervenção Territorial Norte
Responsável: Arqt.ª Cristina Coelho / Secretária: Lídia Brás
Morada: Rua Manuel Marques, nº. 6H, Edifício Odense – 1750– 171 Lisboa
Telefone: 21 751 0270
Estatuto Jurídico: Entidade Pública
E-mail: uct.uitnorte@cm-lisboa.pt
Site: http://www.cm-lisboa.pt
Divisão de Equipamentos Norte 
Responsável: Chefe de Divisão – Eng.ª Helena Rodrigues / Secretária: Cristina Almeida
Morada: Rua Manuel Marques nº. 6H, Edifício Odense – 1750 –171 Lisboa.
Telefone: 21 751 0270
Divisão Norte – Lumiar /  Charneca -
Responsável: Chefe de Divisão – Arqt.ª Sara Godinho / Secretária: Ana Rama/ Alberto Marques
Morada: Rua Manuel Marques nº. 6H, Edifício Odense – 1750 –171 Lisboa.
Telefone: 21 751 02 70
Divisão Norte – Benfica / Carnide 
Responsável: Chefe de Divisão – Arqt.º Luís Caetano / Secretária: Isabel Almeida
Morada: Campo Grande n.º 25, 3º C 1749 – 099 Lisboa.
Telefone: 2179 89219
2. Missão e Visão / Áreas de Intervenção
A UIT Norte é uma das 5 Unidades de Intervenção Territorial criadas visando aproximar os serviços da Câmara Municipal dos munícipes e das necessidades de intervenção na cidade. Pretende-se integrar territorialmente um conjunto de políticas sectoriais, que se encontram repartidas por diversas unidades orgânicas, em particular no que respeita ao espaço público equipamentos e desenvolver uma intervenção comunitária em complemento com o movimento de descentralização de competências e recursos para as Freguesias.
3. Território de Intervenção
Concelho de Lisboa: Ameixoeira, Charneca, Lumiar, Benfica, Carnide e São Domingos de Benfica.