15 de janeiro de 2017

Unidade de Saúde Familiar do Bairro da Boavista custou quase um milhão de euros e está “votada ao abandono”.


O anúncio da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLV) sobre a construção de 22 novas Unidades de Saúde Familiar (USF), cinco dos quais na cidade de Lisboa, está a indignar a presidente da Junta de Freguesia de Benfica, Inês Drummond, que ainda esta semana vai enviar ao Governo uma carta a alertar para uma situação de desperdício "intolerável". "Para a Junta de Freguesia de Benfica, é inconcebível ouvir a ARS de Lisboa falar sobre a necessidade de aumentar a cobertura de centros de saúde e médicos de família na área de Lisboa, quando tem um equipamento novo no bairro da Boavista inaugurado há menos de quatro anos, votado ao abandono", disse a autarca socialista ao Correio de Manhã. Inês Drummond considera "inacreditável que um equipamento que custou quase um milhão de euros, e que foi identificado como uma prioridade da Câmara de Lisboa na altura em que António Costa era presidente da câmara, a ARS persiste em não pôr a funcionar um equipamento na sua plenitude, deixando milhares de utentes sem a devida cobertura médica". E pior ainda, que seja anunciado mais 22 novos centros quando outros estão "abandonados". A presidente da junta não questiona a necessidade de se aumentar a cobertura de serviços de saúde, "antes pelo contrário", mas a isto "dá-se o nome de desperdício e a junta está indignada". CONTINUAR A LER

Ler mais em: http://www.cmjornal.pt/portugal/cidades/detalhe/autarca-socialista-denuncia-desperdicio-intoleravel?ref=Bloco_CMAoMinuto

Sem comentários:

Enviar um comentário